segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Lead me

Desde quando escutei esta música pela primeira vez fiquei pensando no que ela diz. Depois de ter escutado a história de como ela nasceu, meu interesse aumentou.
Escute aí primeiro. Dá até para cantar junto. Volto daqui a pouco.

video

Já tinha escutado?
Para quem não compreendou a letra, vou passar uma idéia aqui e dizer porque gosto tanto dela.

Ele fala da aparência de uma vida perfeita, de uma vida maravilhosa, de uma linda esposa sempre sorrindo,  dos belos filhos, mas só do lado de fora. Na realidade eles estão clamando por um esposo e pai presente. Clamam por aquele que não larga tudo nas costas da esposa. A esposa ainda pergunta se ele ainda está comprometido com o lar, porque ela está se sentindo só.

Mas o que tem de mais nesta letra. Ela me lembrou da necessidade que eu tenho de assumir meu papel de protetor da minha família. Não estou falando sobre tarefas domésticas, o que eu faço muito menos do que deveria fazer. Mas sim mostrar pra minha família que eles são minhas prioridades. Que emprego, casa ou Canadá são secundários. Muitos estão numa luta desenfreada para “vencer na vida” e acabam perdendo o que é mais importante, a família. Vale a pena este tipo de "vitória"?

Como cristão, eu acredito que devo assumir meu papel de líder espiritual do meu lar. Devo orar por eles, dar o exemplo, amá-los como Cristo ama Sua igreja.

No fim desta música ele clama a Deus para o fortalecer. Para que sejamos tudo aquilo que fomos chamados para ser, para liderarmos nossa família de uma forma correta, só com a liderança do Pai sobre nossas vidas primeiro.

Já que estou falando sobre vídeo. Você já assistiu o filme Prova de Fogo (Fireproof)?
Ele passa na TV a cabo de vez em quando (daqui do Canadá, pelo menos).
Tem uma cena no filme que ele fala um pouco sobre isto. Sobre como devemos amar nossas esposas.
Eu peguei esta cena aí do Youtube. Mas vale a pena assistir o filme. Eu tenho o DVD, se vc quiser emprestado...

video
Forte abraço e que Deus nos ajude!

Maurício

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Plantão - On Call

Desde que comecei a trabalhar na Americel (atual Claro), no Brasil, eu ficava de plantão (chamava de on-call mesmo, porque os patrões eram Canadenses).
Quando falo que fico de plantão, algumas pessoas pensam que fico na empresa, talvez por estarem acostumados com plantões médicos. Por isto que a versão em inglês é melhor. Na verdade, fico a disposição da empresa. Se der algum problema na minha área, eles me acionam e tento resolver conectando de casa mesmo.

Pois então, o meu plantão aqui estava planejado para começar no final de Agosto, depois de que eu completasse o período probatório de 6 meses. Mas como quem estaria de plantão neste final de semana, pediu para alguém substituí-lo e como ninguém. se voluntariou, acabou sobrando para mim (o Juninho da área).

O bacana é que neste final do mês de julho, está fazendo 2 anos desde a última vez que fiquei de plantão, ainda no Brasil.

Deus queira que seja tranquilo!

Inté e bom fim de semana a todos.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Novela da carteira de motorista canadense parte IV.

Este assunto conseguiu fazer com que a preguiça de escrever fosse espantada.

Eu achava que a minha novela da carteira de motorista tinha tido só 3 capítulos (parte 1, parte 2 e parte 3). Mas não é que teve mais um aqui em Calgary! Na verdade, este capítulo merecia uma novela inteira, mas resolvi esperar acabar para poder escrever a respeito. Vai ficar grande, mas serve de informação para aqueles que passarem pela mesma experiência que eu. Se vc ficar com preguiça de ler o texto todo, leia o último parágrafo.

Aqui no Canadá, ao contrário do Brasil, ainda não tem uma carteira de habilitação nacional. Segundo o atendente do Registry (o Cartório daqui), é assim porque Quebec gosta de ter o seu proprio sistema, forçando o restante das províncias a fazerem o mesmo. Outra coisa é que se a gente muda para Alberta (imagino que seja igual em todas as províncias) temos 3 meses para fazer a transferência. Ano passado eu trabalhei aqui por 7 meses, mas como era um trabalho temporário, esta regra não vale.
Enfim, assim que eu trouxe meu carro para cá, eu fui ao cartório transferir o carro (que é uma grande vantagem devido ao valor mais baixo do seguro) e transferir minha carteira. Tinha olhado no site do governo de Alberta e vi que como eu já tinha uma carteira canadense, era só trocar pela equivalente daqui de Alberta. Pobre ilusão. Assim que a atendente pegou minha carteira e consultou no sistema dela, já foi me avisando que eu teria que fazer a prova de direção novamente. Quase cai de costas. Não esperava por isto. A explicação é a seguinte. A minha carteira de BC tinha menos de dois anos. E a. qui (acho que no Canadá todo) se você tem menos de dois anos de experiência, vc tem que ter uma carteira de aprendiz (com algumas restrições).
Tentei explicar pra "infeliz" que a minha carteira era classe 5 completa e que BC considerou a minha experiência de direção brasileira e que se não fosse assim, a minha carteira de BC seria de aprendiz. Não adiantou. Ela dizia que eu não estava entendendo e que a lei de Alberta era diferente e coisa e tal e que no sistema constava que a minha experiência era menor do que dois anos e que não tinha jeito. Expliquei que a diferença entre BC e Alberta é que Alberta retem a carteira brasileira, daqueles que tiram a carteira direto aqui, e que com isto eles colocam no sistema a data da primeira habilitação da pessoa (eu acho). Nada.
Eu não estava disposto a desistir. Pedi a carteira de volta e disse pra ela que eu tentaria em outro cartório (ô idiota. Nunca faça isto). Ela me devolveu a carteira, mas fez algumas "anotações" no meu "prontuário".
No fim de semana eu fui em outro cartório. Assim que a nova atendente digitou o número da minha carteira, já foi me falando que eu teria que fazer a prova de direção novamente (a "infeliz" tinha deixado um recado no meu prontuário. Que menina legal). Lá vai eu de novo explicar tudo novamente. Nada feito. Depois de uns bons minutos ela me passou para outra atendente que estava com mais tempo dizendo: este senhor não está querendo entender. Por favor, explique para ele. E lá vai eu gastar o inglês que não tenho de novo. Perguntei para esta terceira atendente qual era a vantagem de eu ter uma carteria de BC. Ela me disse que eu não precisaria fazer a prova teórica. Justamente a que dá menos trabalho. Pelo menos esta, depois de uns dez minutos e vendo que eu não iria aceitar fazer a prova novamente resolveu pegar a minha carteira de motorista brasileira e enviar para o governo de Alberta para ver o que eles iriam falar. Me pediu para voltar depois de umas três semanas...

Esperei quatro semanas. Voltei lá e nada. Não tinha nenhuma alteração. Aí fui na internet e saí procurando algum email de alguém do governo que trabalhasse nesta área. Mandei para dois lugares. Depois de algum tempo, uma pessoa me respondeu. Mas dizia que eu poderia ir no cartório que a resposta tava lá. Pensei que era só voltar lá que taria resolvido. Mas uma vez, nada. Mandei um outro email dizendo: vc não falou que era só ir no cartório que estaria resolvido? Ela disse: não. Disse que a resposta estava lá. A resposta era que vc teria que fazer a prova de direção... Não é possível. Lá vai eu explicar tudo de novo pra mulher (quarta mulher). Depois de alguns emails trocados ela passou o meu caso para um analista senior (homem). Este já foi logo me ligando. Disse que este tipo de coisa (transferência de carteira) não costuma chegar até o nível dele. Me escutou, entendeu e foi verificar com o ICBC (quem cuida de carteira de habilitação em BC) se o que eu dizia tinha razão. Pra encurtar a história, ele pediu que a minha carteira de BC fosse entregue a ele (através do cartório). Ainda tive que ir ao cartório três vezes porque ninguém sabia como proceder neste caso. Sempre levava cópia do email que ele tinha me enviado com as instruções pro cartório. Finalmente deram entrada uns dez dias atrás e hoje finalmente a novela chegou ao fim. Recebi a carteira de Alberta.

Uma lição disto tudo. Se vc acha que vc está certo, vá atrás. O canadense, no geral, é muito bitolado. Se ele aprendeu de um jeito é daquele jeito e pronto. Agora vou finalmente aproveitar o cartão de presente do The Keg que os nossos amigos de North Van nos deram.

Um abraço e até a próxima!

quarta-feira, 24 de março de 2010

Novo Lar? Deus já havia preparado!

Quando pensamos em mudança de cidade,país, uma coisa que nos preocupa e que as vezes nos tira o sono, é o fator moradia. Bem, nesta nova fase que iniciamos, a mudança de Província, encontrar uma casa foi o primeiro item da nossa lista. No entanto, Deus já havia preparado.
O ano passado em Julho, pq o Maurício estava trabalhando em projeto em Calgary, eu fui com o fiote pra passearmos. Durante nossa estada em Calgary, providencialmente, ajudamos na mudança da Carvalho family(blog eu e a minha casa) e assim conhecemos o condomínio e o bairro que eles haviam escolhido pra morar. Para nossa surpresa e alegria, encontramos uma casa no mesmo condomínio e vamos ser vizinhos a partir do dia 27/03.
Primeiro encontramos a casa no rentfaster.calgary e depois nossos amigos foram lá olhar e falar com os donos. Com a benção chamada skype, eles nos mostraram a casa e naquele mesmo dia fechamos com os donos. Mesmo porque, eu já conhecia que tipo de casa q era. A grande benção, é que os donos não nos pediram nenhuma referencia e só fizemos um depósito e assinamos o contrato.
Queremos agradecer do fundo do nosso coração, o cuidado e a disponibilidade do André e da Karina em nos ajudar, acolher e apoiar nesse momento tão importante das nossas vidas. Que Deus continue abençoando a vida de vcs.
No próximo dia 27/03, a mudança será entregue no nosso novo lar em Calgary e com a benção de Deus , estaremos de mala e cuía no nosso novo lar, dia 05 de abril.
Por aqui eu e o fiote ainda estamos acampados na antiga casa que graças a Deus já foi alugada, facilitando assim a quebra do contrato.
Depois voltarei aqui pra compartilhar mais sobre esse mudança.

Abração, Neuzinha

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Calgary, aí vamos nós!

" O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa vem do Senhor."
" O coração do homem traça o seu caminho, mas o Senhor lhe dirige os passos." Salmos 16.1 e 9.

Depois de 1 ano e cinco meses vivendo aqui em Vancouver a espera por uma oportunidade de trabalho;
Depois da experiência de trabalho em Calgary o ano passado por 6 meses;
Depois da experiência de viver na ponte aerea Vancouver - Calgary (trabalhando por contrato em Calgary);
Depois de ter ficado sete meses desempregado;
Depois de ter recebido propostas de trabalho pra Toronto, Montreal etc...
Depois da espera, muita espera... Deus ouviu a nossa oração!
Então, a partir de fevereiro o Maurício começará a trabalhar em Calgary, só que dessa vez no que denominam posição permanente ,com direito a todos os benefícios e melhor ainda, em seu campo de atuação.
Apesar de termos que enfrentar uma mudança de provincia, estamos alegres e em paz. Estamos certos que o mesmo Deus que sempre cuidou e cuida de nós aqui em BC, será conosco em Calgary.
Outra coisa que me deixa alegre e feliz, é a quantidade de amigos que fizemos aqui. Como é bom ouvir pessoas falarem que vão sentir a nossa falta ao invés de um "já vai tarde". Como é bom saber que apesar de todas as lutas nesse processo de adaptação, ainda conseguimos "fazer a diferença"; como é bom saber que poderemos voltar qualquer dia e hora e termos o aconchego e ombro amigo. Como é bom ouvir dos nossos amigos que irão nos visitar.
Outra benção é saber que tem amigos nos esperando em Calgary e que serão instrumentos nas mãos de DEUS para nos acolher.
Obrigada a todos que tem acompanhado nossa jornada aqui e que tem orado por nossas vidas.
" Eu sei, ó Senhor, que não cabe ao homem determinar o seu caminho, nem ao que caminha o dirigir os seus passos." jeremias10.23

Abração, Neuzinha

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Voluntariado, uma pérola!

Olá Pessoal!
Espero que todos vocês estejam fortalecidos e encorajados para prosseguirem nesse novo ano.
Hoje quero compartilhar com vcs sobre o trabalho voluntário que tenho realizado desde setembro do ano passado.
Como muitos de vcs sabem, fazer um trabalho voluntário aqui no Canada, é algo muito importante e você pode acrescentar no seu currículo. Sem contar, que quando vc faz aplicação pra algum college, o trabalho voluntário soma pontos pra vc. Também ajuda na aquisição ou aprimoramento do inglês.
No meu caso, eu fui convidada por uma amiga canadense pq eles estavam precisando de ajuda e ela entendeu que eu poderia cooperar com o q eles estavam precisando. Mas aqui vc encontra vários sites e locais onde vc pode se cadastrar pra fazer um trabalho voluntário. Só é um pouco mais "burocrático", quando vc vai trabalhar diretamente com crianças, pois eles requerem seus antecedentes criminais etc.
Bem, eu estou sendo voluntária em um Ministério chamado "Open Doors", mantido por várias igrejas e cujo público alvo são mães solteiras com filhos na idade de 0 a 5 anos. O projeto existe há vários anos , possue vários núcleos espalhados por Vancouver e as atividades são realizadas na sede de alguma igreja. O núcleo no qual estou atuando, funciona em uma igreja Batista aqui em North Van.
O encontro com essas mães e seus filhos, acontece uma vez por semana no período das 8h30 ás 13h30. O programa visa dar suporte a essas mães e oferece duas horas livres pra que essas mães possam fazer o que quizerem, enquanto seus filhos ficam em atividades na igreja aos cuidados da equipe. Quando chegam na igreja, mães e filhos tem um café da manhã caprichado; depois elas vão até um sala e escolhem roupas e utensílios pra seus filhos e casa (são usados mais em excelente condiçao de uso). Após esta etapa, as mães ficam livres e voltam 12h30 para o almoço e depois participam de um estudo bíblico, oração e aconselhamento etc. Pra elas esse é o momento de recarregarem as baterias.
A equipe de voluntários é composta dos seguintes grupos: um grupo que cuida dos bebês; outro que fica com as crianças de 1 e 2 anos; outro que fica com as crianças de 3 a 5 anos; uma equipe na cozinha e uma equipe de conselheiros e outros que ajudam com trabalhos manuais. A maioria dos voluntários são mulheres aposentadas e outras que só trabalham meio período. O outro detalhe, é que eu sou a única "não canadense" no grupo. Temos também a ajuda de três senhores também aposentados.
Inicialmente, eu pedir pra ficar na cozinha, primeiro pq amo cozinhar e segundo por insegurança em relação ao inglês. ^Também, na cozinha vc não precisa falar, o foco é fazer. Contudo, " o tiro saiu pela colatra". Na equipe da cozinha tem dois professores de inglês aposentados, que passaram a vida toda lecionando inglês em universidade e pelo mundo a fora e os tais "me acharam". No fritar dos ovos, eu tô falando ou sendo forçada a falar mais do que se eu tivesse ido atuar junto ás mães ou ás crianças.
Esse programa além de oferecer suporte emocional, espiritual, social e físico para essas mães que na sua maioria são imigrantes e que não recebem apoio dos pais das crianças, também oferece as crianças a oportunidade de terem avós e tias por algumas horas. Atualmente a frequencia tem sido de 35 mulheres com seus filhos.
Apesar de ser um trabalho todo feito por voluntários e doações, a organização precisa de autorização do governo pra funcionar. Pra terem idéia, um fiscal da area de educação e saúde faz um auditoria em todo espaço que as crianças ficam e na cozinha, a cada três meses. Também é requerido que tenha enfermeira no grupo de voluntários (aí temos 3 q são prof, de faculdade), alguém formado na área de educação (aí tem um monte) e a chefe de cozinha precisa do certificado de foodsafe.
Um detalhe que me salta os olhos e o coração, é o fato dos voluntários atuarem da mesma forma como atuariam se tivessem ganhando 60,00 doletas por hora. Tudo acontece dentro de uma perfeita organização, dedicação, amor e muito zelo. Estou mencionando isso pq trabalhei muito com diferentes grupos lá na terrinha verde amarela e quando o lance era voluntariado, aí a qualidade não era a mesma. Quem atuou em alguns programas públicos ,entende o que estou falando.
Pra mim tem sido mui gratificante trabalhar com esse grupo e devo dizer que tenho ganhado mais do que tenho doado. Trabalhar com grupo é isso vc pode assustar com os seus próprios ganhos.
Espero que cada um de nós possamos fazer a diferença onde estivermos "plantados". Desejo que cada um de vcs que passam por aqui, possam fazer valer a pena a sua existência aqui na terra, dia após dia.
A minha oração é que todos vcs sejam abençoados pelo nosso bondoso Deus nesse ano de 2010.


Abração, Neuzinha