segunda-feira, 19 de julho de 2010

Novela da carteira de motorista canadense parte IV.

Este assunto conseguiu fazer com que a preguiça de escrever fosse espantada.

Eu achava que a minha novela da carteira de motorista tinha tido só 3 capítulos (parte 1, parte 2 e parte 3). Mas não é que teve mais um aqui em Calgary! Na verdade, este capítulo merecia uma novela inteira, mas resolvi esperar acabar para poder escrever a respeito. Vai ficar grande, mas serve de informação para aqueles que passarem pela mesma experiência que eu. Se vc ficar com preguiça de ler o texto todo, leia o último parágrafo.

Aqui no Canadá, ao contrário do Brasil, ainda não tem uma carteira de habilitação nacional. Segundo o atendente do Registry (o Cartório daqui), é assim porque Quebec gosta de ter o seu proprio sistema, forçando o restante das províncias a fazerem o mesmo. Outra coisa é que se a gente muda para Alberta (imagino que seja igual em todas as províncias) temos 3 meses para fazer a transferência. Ano passado eu trabalhei aqui por 7 meses, mas como era um trabalho temporário, esta regra não vale.
Enfim, assim que eu trouxe meu carro para cá, eu fui ao cartório transferir o carro (que é uma grande vantagem devido ao valor mais baixo do seguro) e transferir minha carteira. Tinha olhado no site do governo de Alberta e vi que como eu já tinha uma carteira canadense, era só trocar pela equivalente daqui de Alberta. Pobre ilusão. Assim que a atendente pegou minha carteira e consultou no sistema dela, já foi me avisando que eu teria que fazer a prova de direção novamente. Quase cai de costas. Não esperava por isto. A explicação é a seguinte. A minha carteira de BC tinha menos de dois anos. E a. qui (acho que no Canadá todo) se você tem menos de dois anos de experiência, vc tem que ter uma carteira de aprendiz (com algumas restrições).
Tentei explicar pra "infeliz" que a minha carteira era classe 5 completa e que BC considerou a minha experiência de direção brasileira e que se não fosse assim, a minha carteira de BC seria de aprendiz. Não adiantou. Ela dizia que eu não estava entendendo e que a lei de Alberta era diferente e coisa e tal e que no sistema constava que a minha experiência era menor do que dois anos e que não tinha jeito. Expliquei que a diferença entre BC e Alberta é que Alberta retem a carteira brasileira, daqueles que tiram a carteira direto aqui, e que com isto eles colocam no sistema a data da primeira habilitação da pessoa (eu acho). Nada.
Eu não estava disposto a desistir. Pedi a carteira de volta e disse pra ela que eu tentaria em outro cartório (ô idiota. Nunca faça isto). Ela me devolveu a carteira, mas fez algumas "anotações" no meu "prontuário".
No fim de semana eu fui em outro cartório. Assim que a nova atendente digitou o número da minha carteira, já foi me falando que eu teria que fazer a prova de direção novamente (a "infeliz" tinha deixado um recado no meu prontuário. Que menina legal). Lá vai eu de novo explicar tudo novamente. Nada feito. Depois de uns bons minutos ela me passou para outra atendente que estava com mais tempo dizendo: este senhor não está querendo entender. Por favor, explique para ele. E lá vai eu gastar o inglês que não tenho de novo. Perguntei para esta terceira atendente qual era a vantagem de eu ter uma carteria de BC. Ela me disse que eu não precisaria fazer a prova teórica. Justamente a que dá menos trabalho. Pelo menos esta, depois de uns dez minutos e vendo que eu não iria aceitar fazer a prova novamente resolveu pegar a minha carteira de motorista brasileira e enviar para o governo de Alberta para ver o que eles iriam falar. Me pediu para voltar depois de umas três semanas...

Esperei quatro semanas. Voltei lá e nada. Não tinha nenhuma alteração. Aí fui na internet e saí procurando algum email de alguém do governo que trabalhasse nesta área. Mandei para dois lugares. Depois de algum tempo, uma pessoa me respondeu. Mas dizia que eu poderia ir no cartório que a resposta tava lá. Pensei que era só voltar lá que taria resolvido. Mas uma vez, nada. Mandei um outro email dizendo: vc não falou que era só ir no cartório que estaria resolvido? Ela disse: não. Disse que a resposta estava lá. A resposta era que vc teria que fazer a prova de direção... Não é possível. Lá vai eu explicar tudo de novo pra mulher (quarta mulher). Depois de alguns emails trocados ela passou o meu caso para um analista senior (homem). Este já foi logo me ligando. Disse que este tipo de coisa (transferência de carteira) não costuma chegar até o nível dele. Me escutou, entendeu e foi verificar com o ICBC (quem cuida de carteira de habilitação em BC) se o que eu dizia tinha razão. Pra encurtar a história, ele pediu que a minha carteira de BC fosse entregue a ele (através do cartório). Ainda tive que ir ao cartório três vezes porque ninguém sabia como proceder neste caso. Sempre levava cópia do email que ele tinha me enviado com as instruções pro cartório. Finalmente deram entrada uns dez dias atrás e hoje finalmente a novela chegou ao fim. Recebi a carteira de Alberta.

Uma lição disto tudo. Se vc acha que vc está certo, vá atrás. O canadense, no geral, é muito bitolado. Se ele aprendeu de um jeito é daquele jeito e pronto. Agora vou finalmente aproveitar o cartão de presente do The Keg que os nossos amigos de North Van nos deram.

Um abraço e até a próxima!

10 comentários:

Rafael e Amanda disse...

Afff bixu arretado ! rsrsrs

Mari disse...

Nossa, novela mesmo!!! Não faz sentido eles te darem uma carteira de motorista "full" em uma provincia e vc ter que fazer a prova de direção novamente em outra. Mas os canadenses são bitolados mesmo: é sempre a lei do mínimo esforço e eles não gostam de mudar as regrinhas. Mas temos que aprender a correr atrás e provar que estamos certos.
bjs

Fábia disse...

Oh minha amiga, que aperreio...Vixe!!
Agora divirta-se kkkk....bjs

Gleydson disse...

ÊÊÊ!!! Finalmente voltou o blog!!! ÊÊÊ!!! :-)

E isso porque você está dentro do mesmo país, hein! Bota bitolado nisso! Rererererere...

Só um detalhe: no Brasil a carteira é "nacional", mas o Detran é estadual... A Sílvia teve a pauta dela "perdida" nesse trâmite. É mole?

Abraços!

Simone disse...

Isso tudo aconteceu, só pra vc escrever denovo no blog, castigo! kakakakakakka, que bom que deu certo.

César, Valéria, Lara e Anaclara disse...

Persistência recompensada. Que não venha outra aventura dessas.

E a vida segue...

Sergio disse...

Eu quando cheguei aqui só tive problemas na emissão do meu PR Card, no OHIP (que é o cartão de saúde de Ontario), na carteira de motorista e no SIN. Acabei ficando com dois nomes e tres datas de nascimento diferentes. Mas o cúmulo foi depois de ter conseguido corrigir o meu nome no PR card, ouvir da atendente do SIN a sugestão de entrar com novo processo no PRCard para mudar de novo o meu nome (agora para o errado) para "economizar" a emissão de um novo SIN card com o nome certo!!!

Mirian disse...

Até que enfim, apareceu!!!!!!!!!!
Tudo bem querida?
Estou aqui em Mississauga, curtindo mnha família e meu neto Vítor, fofíssimo.
Deus abençoe vcs todos e sucesso com o Senhor.
Beijos
Mirian (mae da Renata)

Wagner Cardozo disse...

Fala sério ein,
Aind ainda bem que vc falou que tava no Canadá porque parecia história do Brasil.

Ainda bem que a sua experiência brasileira o ajudou a persistir.

O nosso Deus está sempre conosco, Ele cuida de nós

Abraços

Bráulio Vinícius Ferreira disse...

Esse é o Maurício que eu conheço...grande abraço...E volte a escrever mais aqui.