quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Adaptação do Nathan na Escola


Depois de quase um mês da aula, agora podemos contar um pouquinho dessa importante etapa na vida do fiote.
Ele está estudando na Brooksbank Elementary School (escola pública) no período das 8:50 ás 15:00, (exceto na quarta-feira que vai só até as 2:00) , este período é dividido em várias atividades: aulas dentro da sala, aula de música (sala super bacana), informática, momento fitness na quadra coberta (três vezes na semana), tempo na biblioteca, artes, um intervalo as 10:20 para um lanchinho e brincar no parque, aulas de inglês como segunda língua com um grupinho de imigrantes (ele gosta muito), outro intervalo ao 12:00 e depois tempo para o almoço. Sobre o almoço, os pais podem escolher se a criança vai comer em casa ou na escola. Decidimos por comer na escola para que ele possa ter mais tempo para interagir com outras crianças , aprender sobre a cultura e treinar o ingles. Como moramos pertinho, todos os dias eu levo a "marmita" bem brasileira (arroz, feijão, carne e legumes) para ele. Pois, o sapeca não come sanduba nem se tiver morrendo. Essa mudança será feita devagar também.
A rotina na primeira semana foi bem interessante: no primeiro dia (02/09) os novos alunos da escola ficaram numa sala especial por 1h30 com uma equipe de professores, inicialmente falaram sobre a escola e depois saíram com as crianças em fila para apresentar cada cantinho da escola. E os novos pais ficaram tomando um cafezinho (Starbucks) com cookies. Ah! neste dia os alunos veteranos ficaram na sala correspondente ao ano letivo anterior. No segundo dia os novos ficaram por um tempo na biblioteca com a equipe e enquanto isso os veteranos se dirigiram para as novas salas. Depois da acomodação dos veteranos, os novatos foram levados para suas respectivas salas e apresentados as professoras. Então, neste momento avisamos a professora auxiliar que o fiote falava só português , mas numa emergência ele poderia entender o spanish. O Maurício ficou de plantão na escola e foi fazendo as orientações necessárias para que ele não se sentisse inseguro nem entrasse em pânico. No terceiro dia ele foi meio cabisbaixo mas qnd o pai falou que estaria lá pra qualquer coisa, daí ele animou. Então, no primeiro intervalo, o Maurício ficou com ele no parque, retornou pra levar o almoço e ficou mais 20 minutos com ele. Isso tudo ajudou a se sentir seguro num ambiente tão estranho onde ele não entendia o que os outros falavam. Repetimos esse procedimento de ir nos intervalos nas duas primeiras semanas e a partir da terceira avisamos pra ele que só íamos levar o almoço. Só que essa semana, teve um dia que não pudemos levar o almoço e ele achou ruim de ter que comer nuggets de frango frio. Bem, temos feito tudo isso não é porque estamos de férias prolongadas não, mas no Brasil, também fizemos a adaptação à escola de forma gradativa e sempre deu certo. O resultado é que ele está super feliz com a escola e o ingles já está misturando com o português. Todos os dias quando chega fica uns 15 minutos ou mais contando as novidades da escola e suas novas conquistas com o inglês. Algo interessante é que ama brincar na chuvinha (rsrs). A escola pede pra que enviemos a capa de chuva todos os dias, pois chuvendo ou fazendo sol eles vão brincar no pátio.
Outro fator que confortou o Nathan nos primeiros dias foi a descoberta de que ele não era o único imigrante na sala e que havia outros como ele (sem entender o inglês). A equipe da escola é bem amigável e a professora bem atenciosa (23 anos de experiência).
Tivemos que comprar um pouquinho de material escolar mas nada comparado a lista quilométrica que eu comprei em janeiro lá no Brasil. Sobre uniforme, aqui eles não usam e a criança vai com qualquer roupa.
Na segunda semana a Associação de Pais ( aqui funciona mesmo) promoveu um barbecue (segundo eles, um churrasco) para dar as boas vindas aos alunos, daí foi uma decepção pro fiote. Imagina um goianinho acostumado a comer picanha a vontade e ter que comer um pão com hamburguer ou com uma salsicha e um tanto de catchup e batata frita? Depois desse momento pra baixo, fizemos uma reanimação e ele foi brincar no parque. Comeu apenas a salsicha e a batata.
Sobre tarefa de casa, todos os dias vem apenas algo para fazer leitura e treinar a escrita. E esta semana a professora comunicou-nos que ele teve um avanço significativo em todos os aspectos. Ele ficou saltitante com essa fala da teacher.
Aqui também tem uns feriadinhos em outubro. Perdemos o dia 12 (dia da criança) e ganhamos o feriado do dia 13 que aqui é o Thanksgiving; e como morávamos em Goiânia dia 24 é feriado, aqui também é: District Professional Day (mas só escolar).
A escola não tem muros, nem guardas, nem câmeras. Confesso que no começo achei meio estranho, também tava acostumada com várias barreiras de "proteçao" até chegar na sala de aula do fiote. No entanto, o pessoal do staff fica na hora dos intervalos espalhados pelo pátio
supervisionando a galerinha e fornecendo suporte quando precisam. Na escola tem uma enfermeira de plantão (no Brasil tbém tinha), uma psicóloga, uma conselheira que atende e orienta pais e crianças, quando necessário.
Graças a Deus que tem conduzido o Nathan em vitória nessa fase tão importante da sua vida e tem sido seu socorro em tempo oportuno.

Abraço, Mamãe Neuzinha

9 comentários:

patricia disse...

Oi amiga,
Que bom que o Nathan esta se adaptando bem a nova escola. E que Deus continue sempre a frente de todos os projetos de vocês.

Amamos vocês.

Que Deus os abençõe.

Beijos

Hélio, Patrícia e Ariella

Sandro e Família disse...

Queria agradecer o post bem completo que nos dá uma idéia do que esperar nas primeiras semanas de aula para nossos filhos quando chegarmos em Vancouver.

Temos certeza que a adaptação será rápida e sem muitos traumas como aconteceu com seu "fiote"....rss

Abraçao

Bráulio Vinícius Ferreira disse...

Que bom que as coisas estão dando certo por aí com o Nanan. É difícil para quem é arquiteto e educador não querer uma escola "pública" assim. Sem grades e sem cercas, liberdade que a verdadeira educação promove.
Abraços.

Fernando e Silvia disse...

Daqui a pouco quem vai ensinar alguma coisa pra vocês é ele.
Silvia

Dani disse...

Oi Neusinha,

Estamos no processo de imigração e uma das coisas que mais me preocupa é achar vaga num child care legal pro Leo, que tem quase 2anos....
Continue nos informando sobre a adaptação do seu "fiote" pois assim ajuda quem ainda está aqui do outro lado.
Parabéns a vcs e com certeza o Nathan se adaptará rapidamente
Bjs
Dani

Ninha, Doane e Christal disse...

Oi conterrâneos , bão ???
hahahahah

Ai que fofo, aos poucos as coisas vão melhorando e jaja , como a Sylvia disse, ele que vai pegar no pé de vcs com o ingreis =D, rs

Bom, estamos acompanhando a trajetória, desejando tudo de bom , Mantenham-se firme da presença do PAI porque as bênçãos logo cairão.

ABraços

Mitiko disse...

Hello Harada family! Obrigada por compartilhar essa fase tão importante de voces. Fico feliz com a adaptação do Nathan na escola. Que Deus continue iluminando o caminho a pecorrer.
Ah, parabens tb pelas bodas. abraços, Mitiko

Der Doppelgänger disse...

Olá Maurício, tudo bem? Aqui é o seu xará de Santa Rita do Sapucaí. Eu também estou com o processo para o federal skilled worker desde Dezembro/07. Já enviei toda a documentação e agora estou esperando o restante do processo. Eu achei muito legal esse post pois tenho dois meninos de 7 e 5 anos, e a minha preocupação é em relação à adaptação na escola. Quantos anos o Nathan tem? Ele já tinha algum conhecimento em inglês?
Abraços e boa sorte.

Lá e Dá disse...

Muito interessante para nós pais saber o que encontrar no primeiro mês de aulas... o sanduba na hora do intervalo será a glória para meus filhotes!!!
Abraços